Entrevista com o escritor Joseph Delaney

O escritor Joseph Delaney, nasceu em Londres no dia 25 de Julho de 1945. Delaney é um ex-professor que se aventurou pela escrita de livros de ficção científica e fantasia.

Aqui no Brasil o autor é conhecido pela saga As Aventuras do Caça-feitiço, publicada pela Bertrand Brasil (veja a resenha do primeiro livro AQUI).Entrevista com Joseph Delaney

1 | Olá, Bem-vindo ao Ponto Zero, um site de cultura pop em geral. Como você está?

Estou bem e atualmente trabalhando em dois livros. Estou ansioso para o lançamento do meu livro mais recente ‘Arena13: o Prey “, que foi publicado no Reino Unido.

2 | Você poderia se apresentar para os leitores do blog que não conhecem os seus livros?

Eu sou um ex-professor e agora um escritor em tempo integral. Eu escrevi As Crônicas do Caça-Feitiço, que é uma série de treze livros que conta a história de um menino (chamado Tom Ward), que está sendo treinado para ser um caça-feitiço e lutar contra as trevas (que incluem vários e diferentes tipos de bruxas, criaturas muito perigosas e o próprio Diabo).

Ele foi traduzido para mais de 30 línguas e há um filme baseado no primeiro livro chamado Sétimo Filho. Esse filme é muito diferente do livro, mas inclui algumas grandes estrelas como Jeff Bridges e Alicia Vikander.

Eu também escrevi os dois primeiros livros de uma nova série chamada ‘Arena 13’. À primeira vista, pode parecer sobre a luta de gladiadores no passado. No entanto, é muito mais do que isso e está situado em um futuro distante, onde criatura chamadas ‘ djinni ‘ atormentam os seres humanos.

Estas entidades têm mais de um corpo e acesso a uma alta tecnologia que os seres humanos perderam. O herói é um menino chamado Leif que quer ser o melhor de todos os combatente na Arena 13 e quer vingança pelo que um djinni fez para sua família. Há também uma menina chamada ‘Kwin’ cuja ambição é lutar na arena também. Mas as mulheres e meninas não estão autorizados a fazê-lo.

No entanto, no livro dois, uma mulher do passado chamado Ada renasce em um corpo de carne-falsa (tradução livre até o momento) e as coisas começam a mudar rapidamente.

3 | Como seu trabalho começou? Quando a sua primeira ideia para As Aventuras do Caça-Feitiço apareceu?

Eu tive a idéia para Caça-Feitiço quando eu me mudei para uma aldeia que já teve um bicho-papão! De acordo com um conto popular, esta entidade invisível levava as pessoas para longe da igreja local.

O padre orou e aprisionou a criatura embaixo de uma casa de campo. Eu gostei da idéia, escrevi no meu notebook e, eventualmente, inventei o Caça-Feitiço, o praticante de uma arte que pode lidar com tais criaturas perigosas das trevas.

Entrevista com Joseph Delaney4 | Como o seu antigo trabalho como professor o ajudou a escrever livros de fantasia?

Eu lia alguns livros para minhas turmas que eram bem recebidos e apreciados. Eu notei que eram livros que funcionavam bem quando lidos em voz alta. Então eu tentei incorporar isso em minha própria escrita.

5 | Quanto tempo levou desde o surgimento da ideia até a publicação do seu primeiro livro?

Levou provavelmente cerca de três anos. O livro começou como uma história de doze mil palavras que se desenvolveu em algo muito maior. Três editoras diferentes estavam interessadas. Agora, o processo de escrever cada livro leva cerca de um ano.

6 | As Aventuras do Caça-Feitiço tem uma trama bastante forte, mas o que chama a atenção é o fato de que você colocou em poucas páginas cenas de ação, suspense, terror, mistérios e criaturas sobrenaturais em um enredo rico e bem desenvolvido, mas com uma escrita leve que suaviza um pouco a leitura e a deixa bem fluída. Como foi o processo de escrita da série? Foi necessário algum tipo de pesquisa?

Não, eu só acho que é o meu estilo de escrita natural. Eu sou um minimalista e não utilizo longas passagens descritivas. Eu prefiro usar o diálogo e ação. Como eu mencionei acima, a narrativa é parcialmente determinada pela minha tentativa de produzir ficção que pode ser lida bem em voz alta.

7 | Um fato interessante sobre a série é que os desafios são diferentes de um livro para o outro, com vilões e personagens dos anteriores reaparecendo vez ou outra nos outros livros. Você planejou a série dessa forma?

A série desenvolvida como uma história progrediu. Eu não faço muito planejamento com antecedência, mas prefiro descobrir os personagens e ação conforme eu escrevo. Eu tentei fazer cada livro com uma história auto-suficiente, mas com uma narrativa mais ampla no fundo. O principal arco narrativo é o de lidar com o Demônio.

Entrevista com Joseph Delaney8 | Em O Segredo você encaixou um tumulo que foi bastante marcante para você e também uma aldeia baseada na vida real. Por favor, nos conte um pouco da história por trás dessas referências e como foi encaixá-las na trama.

Há uma verdadeira aldeia em Lancashire chamado Chipping que se torna Chipenden nos livros. Muitos dos lugares são reais – eu visitei todos os locais, mesmo os da Grécia, da Irlanda e da Ilha de Man.

Os túmulos de pedra também são reais. Eles são muito pequenos e isso me fez perguntar por que deveriam ser assim. Então eu inventei o povo pequeno e decidi que uma das tumbas aprisionaria Flagelo em A Maldição.

9 | O Bestiário do Caça-feitiço foi escrito como um complemento da série. Em que parte você achou que seria bom lançar o Bestiário? Como foi o processo de escrita e das ilustrações?

Foi minha idéia escrever o “Bestiário” para dar informações sobre os muitos deuses e criaturas da escuridão que aparecem na série. Uma vez que eu terminei ele, passei a um grande ilustrador chamado “Yulek Heller ‘que fez um trabalho brilhante.

O Bestiário agora precisa ser atualizado, pois muitas entidades novas têm aparecido nos livros desde então. Mas eu escrevo dois livros por ano e seria difícil encontrar tempo.

10 | Por que um sétimo filho de um sétimo filho?

Sétimo filho de um sétimo filho aparecem em contos antigos em todo o mundo. Alguns são maus e alguns são bons. Então eu peguei aquela velha ideia e fiz ela se encaixar no meu mundo.

Tom Ward, por isso, tem alguma imunidade contra a magia negra e pode se comunicar com os mortos. É claro que ele também tem sangue de sua mãe em suas veias, o que leva ao desenvolvimento de outras habilidades.

11 | Como foi para você ver seu trabalho virando filme nas mãos da Universal? Você gostou do resultado final?

No primeiro momento, foi emocionante, mas o desenvolvimento do filme foi muito lento, com muitos anos de pré-produção e mudanças de direção.

Eu não gostei do resultado final, uma vez que é muito diferente dos livros e perdeu a chance de incorporar coisas que dão aos livros os toques de originalidade. O filme é assistível e divertido, mas poderia ter sido muito melhor.

12 | Arena 13 é uma trilogia com uma proposta bem diferente da de Caça Feitiço. O que você pode falar dessa nova trilogia? Quais foram as inspirações para criá-la?

Foi inspirada por meu entusiasmo como um entusiasta de computador  que eu era na década de 1980. Eu estava brincando com uma linguagem de programação (codificação) chamado “FORTH”.

Eu descobri que ele foi usado para mover radiotelescópios quando varriam o céu noturno. Então, eu imaginei um desenvolvimento dessa linguagem que seria chamado de ‘NYM’ e controlaria os lacs (um tipo de android) que combatem ao lado dos humanos na Arena 13.

13 | Ainda sobre Arena 13, você misturou diferentes elementos para dar vida à obra, como mitologia, um pouco de distopia, lutas em arenas como os antigos Gladiadores, alem da história em si. Como foi a criação desse universo? Foi necessária alguma pesquisa para escrever a obra?

Nenhuma pesquisa real estava envolvido. As idéias se desenvolvem lentamente na minha imaginação e eu as insiro em meu notebook conforme vão desenrolando. Neste caso, porque involvia a criação de ideias e entidades, criei um glossário conforme escrevia a narrativa.

Houve feedback entre os dois; do glossário, peguei ideias que entraram na história; da narrativa, tomei recursos que precisavam ser explicadas no glossário.

14 | Você recebeu alguma rejeição por parte de editoras para seu primeiro livro?

Eu não acho que o primeiro livro ‘O Aprendiz’ foi realmente rejeitado por ninguém. Havia editores interessados ​​que queriam que se desenvolvesse ainda mais. Eu continuei trabalhando nisso e, é claro, apenas um poderia publicá-lo.

Entrevista com Joseph Delaney15 | Quais são os seus livros e autores favoritos?

Livros de Tolkien são as minhas leituras favoritas. Também gosto dos romances ‘Duna’ de Frank Herbert. Ambos os autores foram inspiradores.

16 | Só por curiosidade, você poderia nos contar sobre o pesadelo que você e seu irmão costumavam ter quando crianças, em Preston?

No pesadelo, eu estaria sentado em um tapete a frente da lareira observando as faíscas de um fogo de carvão subir a chaminé. Em seguida, uma criatura sombria entrava na sala, me pegava e me levava para o armário escuro sob as escadas. Eu sabia que estava sonhando, mas não conseguia acordar.

Nós dois tivemos o sonho e acreditávamos que, se alguma vez fossemos levados para o buraco escuro, iriamos morrer em nosso sono e ficar presos no pesadelo para sempre. Tínhamos um acordo.

Se alguma vez você estivesse no pesadelo e conseguisse acordar, era seu dever despertar o seu irmão. Ele podia estar tendo o pesadelo também!

17 | Eu agradeço muito pela entrevista. Nós estamos honrados com sua atenção. Você gostaria de mandar uma mensagem para seus fãs no Brasil? Pretende vir para cá algum dia?

Eu visitei o Brasil para o ‘XVII Bienal Internacional Do Livro do Rio de Janeiro’. Conheci e conversei com muitos leitores e foi uma experiência muito agradável. Se surgir a oportunidade, eu gostaria de visitar novamente.

Meus melhores desejos a todos os meus leitores!
Obrigado! Joseph Delaney

Veja os livros do autor AQUI

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePin on Pinterest

Um leitor assíduo da fantasia e do terror, vem descobrindo aos poucos as maravilhas da Ficção Científica e dos Romances Históricos. Crítico e perfeccionista, procura falhas até nos livros mais perfeitos. Nas horas vagas escuta Heavy Metal e lê ainda mais.

134 views
Scroll Up