Power Ranger | Hora de Morfar…

Power Rangers (2017. Direção: Dean Israelite. Roteiro: John Gatins. Elenco: Dacre Montgomery, Naomi Scott, RJ Cyler, Becky G, Ludi Lin, Bill Hader, Bryan Cranston, Elizabeth Banks.)

Muitas produções internacionais fizeram seus nomes com o público jovem brasileiro, ficando, talvez, tão eternizadas aqui quanto no seu país de origem. Uma delas, certamente, é Chaves, que até hoje passa na TV aberta, e consegue chamar a atenção de qualquer pessoa, sendo uma das maiores audiências atualmente.

A outra, é Power Rangers, que conseguiu garantir boa audiência em todas as suas temporadas (mais especialmente, nas primeiras) com as crianças e adolescentes do Brasil.

Sendo assim, é impossível que um cidadão brasileiro, que certamente cresceu vendo Power Rangers, não tenha se emocionado quando Haim Saban, o criador da série, anunciou que a sua empresa iria adaptar a série aos cinemas mais uma vez, agora em uma super produção.

Super produção mesmo: é a maior produção da franquia Power Rangers. Nas mãos do cada vez mais emergente Lionsgate, o estúdio de cinema, e com bons nomes na equipe e no elenco, o filme veio ganhando cada vez mais destaque e atraindo cada vez mais atenções para si.

Parte das atenções é dada pela escolha da temporada a ser adaptada aos cinemas: Mighty Morphin serve como base da produção (e não poderia ser diferente, já que é a temporada de maior sucesso ao redor do mundo).

Nesse novo filme dos Power Rangers, Jason, Kimberly, Billy, Trini e Zack, cinco jovens que moram na clássica cidade fictícia da Alameda dos Anjos, encontram pedras poderosas chamadas de Power Coins, que lhes dão superpoderes. Com isso, eles são recrutados por Zordon e Alpha para se tornarem a nova geração de Rangers e defenderem o planeta contra a Rita Repulsa, que planeja dominar a Terra.

John Gatins assina o roteiro. Gatins é o nome mais experiente da produção: ele esteve envolvido no roteiro de Coach Carter, Gigantes de Aço, Need For Speed, O Vôo (que lhe rendeu uma indicação ao Oscar de melhor roteiro original) e o recente Kong: A Ilha da Caveira.

Em Power Rangers, Gatins fez algumas alterações substanciais na premissa original de Mighty Morphin, sem quebrar a essência da história original.

No filme, os jovens são deslocados, cada um pertencente a um mundo diferente, e que juntos, acabam criando laços e cultivando uma amizade. Diferente da série, onde os jovens da Alameda dos Anjos eram os mais populares da cidade, o filme aplica a fórmula de Clube dos Cinco, que funciona muito bem, e traz riqueza aos personagens, investindo no desenvolvimento de cada um e deixando os Power Rangers mais sérios.

Falando em personagens, o filme alterou características de alguns deles, em relação à série. Trini, a Ranger Amarela que é interpretada pela cantora Becky G, é lésbica. Billy, o Ranger Azul trazido à vida por RJ Cyler, é autista. É a primeira vez que temos um filme com super-heróis LGBT e autista, representando uma revolução social importante.

Além dos personagens bem-desenvolvidos, o filme conta com outro ponto forte: os efeitos visuais. Dean Israelite, o diretor, também comandou o filme Projeto Almanaque, que tem como tema as viagens no tempo. O comando dessa produção lhe deu experiência com efeitos visuais para aplicar em Power Rangers, abandonando as explosões mal feitas da série, e dando um ar de franquia mesmo.

Os Zords, veículos clássicos dos Rangers, ganharam uma reformulação com os efeitos visuais, ficando ainda melhores e mais poderosos, principalmente quando se tornaram o Megazord, causando aquela “viagem no tempo” que Israelite já sabia fazer, mas na gente, pra época quando víamos a série original.

Bryan Cranston, o eterno Walter White da aclamada série Breaking Bad, dublou vários monstros da temporada Mighty Morphin, no começo da sua carreira. Agora, ele retorna à franquia nesta produção como Zordon, o grande mentor dos Rangers. O personagem sofreu uma modificação em relação à série, sendo aqui o ex-Ranger Vermelho preso ao Morphing Grid. Sua performance alternou entre live action, computação gráfica e captura de movimentos, os quais não afetaram a brilhante atuação de Cranston como o guia de Jason e sua equipe.

Alpha, o clássico robô que auxilia Zordon e os Rangers, é todo em computação gráfica. A voz dele é de Bill Hader, que já tem experiência em dublar robôs: ele fez os sons de BB-8 em Star Wars: O Despertar da Força. De todos os personagens, é o que permanece igual à série, inclusive nas expressões (ai, ai, ai!).

Rita Repulsa, a clássica vilã da temporada Mighty Morphin, volta mais séria, poderosa e ameaçadora do que na série. A caracterização dela é excelente, com várias escamas, maquiagem bem composta, e um uniforme bem inovador, o que ajudou ainda mais a torná-la perigosa. Nas mãos de Elizabeth Banks, Repulsa (que é, no filme, a ex-Ranger Verde) e seu monstro Goldar dão mais trabalho aos Rangers do que as suas contrapartes da série.

Mas, com certeza, o ponto mais forte do filme é a alta carga de fan service que Israelite e Gatins conseguiram transmitir com sua direção e roteiro. Em muitos momentos, Power Rangers traz referências a ícones da cultura pop, como o Homem-Aranha e o Bumblebee, tornando o filme atualizado quanto ao mundo ao seu redor.

Mais do que isso, fortes são todas as referências que Power Rangers traz aos próprios momentos da sua franquia. Replicando os exatos termos e nomenclaturas utilizados na série, o filme se mantém puramente fiel a tudo o que foi construído ao longo dos anos, com todas as temporadas, e principalmente, a tudo o que os fãs viveram com os Rangers na TV.

Pra quem é fã, como eu, a emoção é certa. Eu não nego que chorei vendo o filme. Me trouxe as sensações mais nostálgicas, me transformou em criança, mais uma vez. Era o filme de Power Rangers que todos nós esperávamos, há anos. Apresentou os Rangers a quem não conhecia, e reviveu-os a quem cresceu lutando com eles. Mais uma vez, é hora de morfar.

P.S.: O filme mal estreou, e já confirmaram a sequência. Nela, o maior Ranger de todos os tempos, Tommy Oliver, vai dar as caras na nova versão da franquia. Tem como não ficar na ansiedade com tudo isso?

Power Rangers | Trailer

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePin on Pinterest

Um ajudante de super-herói perdido em Tatooine, com várias pedras de metanfetamina.

462 views
Scroll Up