A CHEGADA (Arrival. 2016. Direção: Denis Villeneuve. Roteiro: Eric Heisserer. Elenco: Amy Adams, Jeremy Renner, Forest Whitaker, Michael Stuhlbarg, Tzi Ma, Mark O’Brien.)

Filmes com temáticas alienígenas não são algo do nosso século. Basicamente, eles existem há tanto tempo quanto o cinema hollywoodiano. De lá pra cá, já tivemos clássicos como O Dia em que a Terra Parou, E.T.: O Extraterrestre, Alien: O Oitavo Passageiro, Avatar e Distrito 9.

Cada um desses filmes aborda a temática sobre a vida fora do planeta Terra de uma forma diferente e marcante. Mas, depois de tantos anos e de tantas produções sobre os aliens, o gênero ficou saturado, e trabalhar com isso ficou extremamente difícil e arriscado.

Todavia, A Chegada, o mais novo filme sobre alienígenas na Terra, chega abordando, de uma forma diferente, o entendimento entre as raças e sobre qual é o propósito de cada uma delas.

O filme é baseado no livro História da Sua Vida, de Ted Chiang, e relata a chegada de uma série de naves alienígenas, que aterrissam na superfície do planeta Terra, com seres extraterrestres dentro, os quais possuem uma forma de comunicação que é diversa da nossa.

Para tentar desvendar e decifrar o que os alienígenas querem dizer, e principalmente, o que eles querem no nosso planeta, o Coronel Weber convoca uma linguista, Dra. Louise Banks, para que ela visite o interior de uma das naves e, sob total segurança do exército estadunidense, tente se comunicar com os aliens.

A Dra. Banks, juntamente com um físico, Dr. Ian Connolly, topam o serviço e começam a tentar entender a linguagem dos alienígenas, e mesmo com a progressão dos entendimentos entre os estudiosos e os aliens, o resto do mundo reage com medo aos visitantes, colocando-os numa corrida contra o tempo, para quebrar todos os códigos antes que uma guerra ocorra.

A adaptação dessa história aos cinemas parte do roteiro de Eric Heisserer, um cineasta que encontra aqui o seu trabalho mais consagrado. Após ter sido o roteirista do fracassado reboot de A Hora do Pesadelo, ele escreveu os roteiros do mediano Premonição 5 e do popular Quando as Luzes se Apagam, e atinge o verdadeiro sucesso em A Chegada. O livro é difícil, possui uma linguagem científica em vários momentos, e por isso, o trabalho de Heisserer foi difícil. Mas ele mostrou que se garante, e conseguiu captar a essência do livro de Chiang, sendo fiel à tudo que o escritor criou, entregando um roteiro honroso.

A Chegada

Terminado o roteiro, e passado ao estúdio, faltava um diretor à altura de um desafio assim. E quem dirige essa criativa aventura dramática tem o nome cada vez mais conhecido de Denis Villeneuve. Depois de ter dirigido os sucessos Os Suspeitos, O Homem Duplicado e Sicário: Terra de Ninguém, o diretor canadense finalmente se aventura no universo da ficção científica extraterrestre.

Em A Chegada, a direção de Villeneuve dá a toque final ao roteiro de Heisserer, dando vida à história, ao criar um ambiente de mistério, tensão e descobertas ao redor das naves alienígenas e de seus tripulantes, dando ao filme a força merecida. Com esta produção, Villeneuve se consagra em definitivo como um dos maiores diretores da nova geração do cinema.

Os dois estudiosos (os protagonistas) são interpretados por Amy Adams e Jeremy Renner, que já podem ser considerados veteranos do cinema. Neste filme, eles entregam atuações emocionantes nas tentativas de manter contato com a raça alienígena. Mas as atenções vão especialmente para Adams, que mostra todo o seu talento ao descobrir os segredos dos aliens, ao entendê-los, e ao aceitar a missão deles. Sua atuação lhe rendeu uma indicação ao Globo de Ouro de melhor atriz dramática.

Para a equipe técnica do filme, todos os mais merecidos reconhecimentos. O design de produção do filme é espetacular, sempre mantendo a ambientação e o filme em si em tons cinzentos, oriundos das cores das naves alienígenas e do interior delas.

A equipe de som do filme trabalha arduamente aqui, ao combinar a trilha sonora com os sons emitidos pelos alienígenas, entre as ameaças de confrontos, as explosões e os estrondos, mantendo o áudio limpo e bem encaixado, para ajudar a criar o ambiente da produção.

A Chegada

A fotografia é singular, nas tomadas aéreas que pegam a localização das naves e os imensos terrenos e mares onde elas se posicionam, bem como nas cenas internas, ao capturar com beleza as conversas entre os estudiosos e os alienígenas.

E a edição do filme, alternando sempre entre as cenas que se passam no presente e em outros tempos, sem nos deixar confusos, tornam tudo ainda mais espetacular. Com momentos muito bem construídos, e reviravoltas surpreendentes, A Chegada faz um filme sobre alienígenas bem diferente do que estamos acostumados, abordando exclusivamente sobre o quanto a humanidade ainda tem a aprender com os seres de fora do planeta Terra.

Assim como A Origem revolucionou o cinema da ficção científica em si, A Chegada é uma revolução do cinema extraterrestre, consagrando todo o elenco, a equipe técnica, o roteirista Eric Heisserer e o diretor Denis Villeneuve, em um filme que certamente será aclamado por anos e anos.

A Chegada foi indicado a 8 Oscars em 2017:

  • Melhor Filme;
  • Melhor Diretor, para Denis Villeneuve;
  • Melhor Roteiro Adaptado, para Eric Heisserer, baseado no livro “História da Sua Vida”, de Ted Chiang;
  • Melhor Edição de Som, para Sylvain Bellemare;
  • Melhor Mixagem de Som, para Claude La Haye e Bernard Gariépy Strobl;
  • Melhor Design de Produção, para Paul Hotte e Patrice Vermette;
  • Melhor Fotografia, para Bradford Young;
  • Melhor Edição, para Joe Walker.

A cerimônia de entrega dos Oscars em 2017 ocorrerá na noite de domingo, 26 de fevereiro.

Trailer | A Chegada

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someoneShare on Tumblr
OSCAR 2017 | A Chegada
ROTEIRO100%
PREMISSA100%
EDIÇÃO E MIXAGEM DE SOM100%
DESIGN DE PRODUÇÃO 100%
DIREÇÃO100%
100%EXCELENTE