Star Wars | Universo Expandido

Quando a Walt Disney Company anunciou  no dia 30 de outubro de 2012 a compra da produtora Lucasfilm de George Lucas por nada mais nada menos que US$ 4,05 bilhões, o mundo todo, não só os nerds, sentiram algo no equilíbrio da Força. Não demorou nada para que o anúncio de um novo filme surgisse já para o ano de 2015…aqui estamos e o Episódio 7, Star Wars: O Despertar da Força, em breve chega aos cinemas…

[dropcap size=small]T[/dropcap]ambém não tardou para que todo o material gigantesco em torno da franquia Guerra nas Estrelas comumente chamado de Universo Expandido (Expanded Universe, no original) fosse alvo, para o bem ou para o mal, dos holofotes da Disney: HQs, games, animações, livros, séries e todo tipo de derivado passou pro um olhar criterioso para arrumar a casa e ver o que seria mantido e o que seria deixado apenas como exercício criativo dentro do cânone de Star Wars.

2000px-Star_Wars_Logo.svg

Para os fãs de longa data, o chamado Universo Expandido – UE é velho conhecido, mas caso você esteja chegando ao baile agora, o UE da franquia é algo que acompanha lado a lado dos filmes, a cronologia da saga de SW de várias formas, introduzindo novos personagens, situações ou simplesmente jogando luz a pontos cegos dessa mitologia. Algo não ficou claro nos filmes? Então em alguma obra diferente há com absoluta certeza uma explicação ou história complementar que elucida o fato. Não sabe a origem de algum personagem ou algum fato sobre ele? Em algum livro, game ou HQ tal fato deve estar esclarecido. Não sabe o motivo da eterna luta entre as fações Jedi e Sith? Está minimamente detalhado em alguma crônica por aí…

O que não havia sido contado nos filmes, sobretudo na trilogia clássica (episódios 4, 5 e 6) havia até então sido explorado exaustivamente em obras diversas ao longo de anos de licenciamentos derivados da coluna dorsal cinematográfica… dizendo as más línguas, tudo, TUDO mesmo, supervisionado de perto e com aval final de George Lucas de modo a não confrontar com o que o mestre imaginava e aceitava como possível de ser incluído em seu cânone.

Star-Wars-Original

A regra é clara: nada no UE poderia ir de encontro ao que havia sido mostrado na telona… Só para se ter uma ideia o UE é tão conhecido e tão emblemático para a existência da franquia que começou a existir antes mesmo da estreia de Star Wars: Uma Nova Esperança (25 de Maio de 1977), haja vista que as primeiras HQs (adaptações do filme) e a novelização do mesmo em romance, estrearam antes do próprio filme chegar aos cinemas.

Se um lado a existência do UE permitiu um sem número de possibilidades, narrativas e abordagens sobre a mitologia de SW; por outro lado essa mesma existência acabou complicando muito as coisas para quem não mora, por exemplo, nos EUA, país onde tudo isso é criado, produzido e distribuído. A existência e autonomia cada vez maior do UE acabou por complicar o entendimento de fãs ao redor do mundo que sequer tiveram a oportunidade de prestigiar ao menos um quarto de tudo o que havia sido feito até então. O próprio fã brasileiro, por exemplo, precisou durante anos recorrer ao material importado para conhecer certas expansões que nunca haviam sido publicadas aqui de forma alguma.

Star_Wars_1_Cassaday_cov-720x1067Por vezes até mesmo comprar material lançado aqui e algum tempo depois, por problemas alheios, simplesmente o dito material desaparecia das bancas e lojas sem sua conclusão. Que o digam os fãs das HQs da franquia que já percorreram não só mais de uma editora americana como uma dezena de editoras brasileiras que jamais publicaram o material americano a contento.

Tendo em vista o mercado mundial, após a aquisição de todo o material da Lucasfilm, a Disney optou por dar uma boa arrumada na casa e na cronologia de SW, tecnicamente espalhada entre os filmes e todo o material do UE justamente, acredito eu, visando sanar essas falhas na “distribuição” de material tratado como cânone, mas que por motivos diversos jamais chegaram de forma satisfatória aos fãs da franquia.

Lembram quando eu disse que a questão seria manter como cronologia ou como mero exercício criativo-narrativo? Pois é, agora tudo é exercício criativo mesmo… a Disney pegou cada obra, cada animação, cada HQ, cada game, cada livro que expandia o universo de Star Wars e retirou do cânone da saga e colocando sob o selo Star Wars Legends. Você pega, lê, acha ótimo (ou não), se diverte, (ou não), conhece mais (ou não), porém nada dessas expansões tem peso direto sobre o destino e a cronologia do tronco original dos filmes, ao menos não em sua totalidade…

Com histórias contextualizadas desde antes dos primeiros saltos pelo hiperespaço, chegando aos primórdios da Velha República, passado pelas famosas Guerras Clônicas e cobrindo as lacunas deixadas entre os filmes, o UE de SW abordava coisas como o treinamento Jedi de Luke Skywalker entre o Ep5 e o Ep6 (fato abordado em obras extra-filmes), interligações entre personagens como Han Solo e Lando Calrissian, as atividades clãdestinas do caçador de recompensas Jango Fett, a ascensão ao poder do gangaster intergalático Jabba, o Hutt; as ações do império após a queda da República, os anos de Obiwan Kenobi em Tatooine etc; tudo virou, literalmente, lenda. Ou ao menos “uma das possíveis histórias que podem ser consideradas“.

movies-star-wars-chahracters-wallpapers-free-download-lovely-hd-widescreen-wallpapers-of-star-wars

Pontualmente a série Star Wars: The Clone Wars que se iniciou pós-eventos dos Episódios 1, 2 e 3 tem ainda efeito cronológico tanto de referência para os filmes quanto para Universo Expandido. Não tenho uma fonte segura sobre isso, mas tecnicamente é algo que faz bastante sentido, já que o hiato das Guerras Clônicas havia sido uma grande incógnita desde que “Uma Nova Esperança” chegou aos cinemas. Então ficou arrumado assim: Cinematograficamente temos uma linha mestra do universo SW que tem valor canônico e que inclui The Clone Wars que, por sua vez, deriva para um universo expandido com cronologia própria que segue rumos distintos imaginando e reimaginando fatos, situações e personagens da franquia, podendo ser encarado como uma das muitas possibilidades do que pode ou poderia ter acontecido.

SWDH_1Tudo que existia de expansão na franquia não deixou de ter o seu valor como obra e conteúdo, longe disso, mas nada desse rico universo que abrange milhões de anos da galáxia muito distante vai ter algum peso, mínimo que seja dentro da continuidade que o Episódio 7 vai impor ao material geral. Depois de muitos anos, finalmente o destino pós-Endor vai ser revisto e uma direção oficial tomada, qualquer obra que aborde esse período simplesmente não tem valor cronológico oficial para a Disney que, segundo sua ótica criativa, vai permitir que suas novas equipes possam ter total liberdade no trato com os Skywalker & Cia.

Outro ponto que abriu portas para a Disney com a “exclusão” do UE como canônico é justamente preencher as lacunas com material completamente novo e reorganizado de acordo com a orientação da empresa, ou seja: “vamos fazer um monte coisas sem precisar pagar os Direitos Autorais de autores que nós não contratamos… ah, claro, vamos fazer uns filmes aqui e ali para tapar essas buracos aí usando esses personagens que todo mundo curte“. Dentre esses “tapa buracos” já temos de antemão um filme abordando o passado de Han Solo em sua vida como contrabandista e outro sobre o Esquadrão Rogue.

Outro ponto que, acredito eu, seja foco da Disney ao separar oficialmente a cronologia cinematográfica da série do UE diz respeito a pura e simples organização e centralização do material agora sob sua posse. Construído em diferentes momentos e por diferentes pessoas em diferentes suportes, o UE acabou por se tornar um colcha de retalhos de estilos narrativos por vezes conflitantes, não só pelos autores envolvidos, mas sobretudo pela diferença da mídia a qual se destinavam determinadas histórias.

Nos livros a narrativa literária impunha um ritmo, nas HQs outro, nos games outro mais ágil e frenético, nas animações e séries animadas mais outro ritmo e não foi uma nem duas vezes que a abordagem dos personagens, suas ações e personalidades se tornaram conflitantes não só entre si, mas também com o próprio norte central dos filmes, sobretudo a chamada Trilogia Clássica (Eps 4, 5 e 6) e seus acontecimentos.

2d4eba0c0d2e1750d147f686a31c1c37_large

Para não perde o embalo, toda uma nova leva de material está em curso pela Disney com novos livros e HQs agora sob total e inteira responsabilidade da Marvel Comics, também propriedade da casa do Mickey. A diferença agora é que nada, absolutamente nada mesmo vai se direcionar no sentido cronológico pós-Endor, já que isso vai ficar a cargo inteiramente do que a empresa pretende fazer nos novos filmes sob sua supervisão.

Mas calma, antes de amaldiçoar a empresa, o material do UE não deixou de existir ou será simplesmente queimado em praça pública… está tudo lá e muita coisa sendo relançada justamente por ser material de ótima qualidade narrativa e que agrada até mesmo os não-iniciados dado o cuidado e apuro com que foram feitos. Obviamente o fã da franquia tem um gosto a mais ao se entregar ao material conhecendo a fundo muitos dos personagens ali atuantes como é o caso da famosa Trilogia Thrawn (em breve em resenhas aqui no PZ), escrita pelo americano Timothy Zahn que, até antes da aquisição da Lucasfilms pela Disney, foi por muitos anos considerada a grande e derradeira base de continuação para os filmes Episódio 7, 8 e 9 em um futuro incerto desde O Retorno de Jedi.

Os anos passaram e o bloco de filmes que comporia a terceira trilogia da saga nunca saiu do papel e da imaginação de George Lucas, a Disney veio e arrematou a o rancho Skywalker de portas fechadas e agora as coisas são bem diferentes do que poderiam ter sido…

Cronologia Canônica vs Universo Expandido

Com obras abrangendo um lastro enorme de tempo, o UE permitia aos fãs e não-iniciados aos conceitos e cronologia da franquia percorrer os períodos Pré-Filmes, o que chega a atingir a casa dos milhões de anos antes de Yavin, as Guerras Sith-Jedi, períodos diversos Pré-Velha República, a República, passando pelos períodos prévios aos acontecimentos que originaram as Guerras Clônicas com o surgimento do Império e retorno dos Sith, há muito dados como extintos; há também os inúmeros interlúdios entre cada filme atingindo o pós-Endor dando o destino de Luke, sua irmã Leia, Han Solo e a restauração da República, por fim o UE chega ao futuro da descendência Skywalker mais de 100 anos depois da queda do Império na batalha de Endor com as HQs Legacy… e falando em HQs, ainda há o fluxo migratório entre a Marvel, Dark Horse e agora de volta para a Marvel.

starwarswallpaper1024

Arrumar a casa era não só uma necessidade de proprietário, era um imperativo logístico para a Disney e para o sucesso da franquia entre as novas gerações. Em 2017 Star Wars completará 40 anos da estreia do primeiro filme, a quantidade de fãs novos sempre teve uma tendência ao crescimento e simplesmente deixar ao acaso a busca incessante pelo material disperso que hoje compõe o UE seria até um desperdício de dinheiro por parte da Disney, sobretudo porque sempre houve fãs questionando a real organização do material e alguns dos resultados do mesmo, bem como dezenas de questionamentos se realmente tem valor a afirmativa de que o próprio Lucas e pessoas extremamente próximas a ele eram responsáveis diretos pela aprovação e ajuste das obras expandidas.

maxresdefault-850x560
Star Wars Republic Commando, um dos muitos games da franquia

Tudo bem que, por exemplo, a Lucas Arts, braço da empresa de Lucas responsável pelos games de SW, era só uma divisão a mais no grupo e isso facilitava as “aprovações”, no entanto, quando você convida um romancista e dá a ele determinadas liberdades criativas, é pouco provável que 100% desse material seja totalmente “aprovado” e “supervisionado” página a página em busca de inconsistências aqui e ali antes de seu lançamento. Quando um autor de renome é chamado para uma missão como essas, você confia no trabalho da pessoa e em sua técnica para tal.

Quando muitos autores são chamados em momentos diferentes para falar sobre o mesmo contexto de formas diferentes mesmo passando por um “crivo” cheio de critérios, com absoluta certeza há um grande número de inconsistências, diferenças, conflitos e discrepâncias em muitas partes do que deveria ser, a princípio, um todo coeso. E, acredite, elas, as inconsistências, existem sim e não são poucas…

Só para citar mais um exemplo prático da confusão, o mestre Jedi Obiwan Kenobi tem a seu favor duas abordagens diferentes e ao meso tempo indo na mesma linha sobre seu exílio em Tatooine enquanto vigiava de longe o pequeno Luke Skywalker: Star Wars – Kenobi (Livro) e Star Wars Legends #7, Hq atualmente em andamento pela Marvel Comics e abordando vários personagens da franquia… pois é, duas obras abordando o exato mesmo tema e praticamente o mesmo contexto em relação a um único personagem

Bom, mas o que importa agora, ao menos de imediato, é ter um norte para se guiar no novo Status Quo da franquia e seus desdobramentos entre as duas linhas cronológicas agora existentes. Sobretudo, tanto para os novatos quanto para os já iniciados, é bom destacar que cronologicamente se convencionou adotar a batalha de Yavin em um grande marco referencial para a cronologia canônica de SW muito antes da aquisição por parte da Disney.

Antes e Depois da Batalha de Yavin

As linhas de tempo mais comumente adotadas, principalmente nas HQs, colocam a Batalha de Yavin (The Battle of Yavin, no original) como um “centro de partida” tanto para frente quanto para trás na linha cronológica de SW. A importância da batalha é tão grande que ela marca as duas linhas cronológicas (cânone e Legends). Inclusive todas as HQs publicadas pela Dark Horse Comics antes da aquisição já começam explanando justamente sobre a Batalha de Yavin como ponto central para situar suas histórias em vários momentos no tempo. É comum nas datas da saga as numerações do calendário aprecem na forma das Siglas BBF/Before Battle of Yavin (Antes da Batalha de Yavin) e AFB/After Battle of Yavin (Depois da Batalha de Yavin).

A princípio a ideia desse texto era dar uma organizada nas duas linhas cronológicas pontuado aqui e ali algumas obras emblemáticas ou ao menos fortes o suficientes para nortear, sobretudo, o leitor iniciante, mas a coisa é estupidamente grande e digna até mesmo de uns bons artigos acadêmicos sobre narrativas e tudo mais, por tanto vou me limitar a apenas citar rapidamente a estrutura simplificada do UE, haja vista que as obras que o compõe são de produtoras diferentes que lançaram material em momentos igualmente diferentes (nas HQs a coisa é infinitamente mais complicada por conta da dança entre Marvel e Dark Horse).

SW5
Apesar da distribuição setorizada e errática na maior parte do país, a coleção da Planeta DeAgostini é uma boa opção tanto para fãs quanto para os novatos em Star Wars

Para efeitos práticos e, até onde sei, é assim mesmo de forma oficial, temos a cronologia de SW dividida em seis eras canônicas, a saber: Old Republica Era (Era da Velha República), Rise of the Empire Era (Era do Surgimento do Império), Rebelion Era (Era da Rebelião), New Republic Era (Era da Nova República), New Jedi Order (A Nova Ordem Jedi) e Legacy (Legado)

  • Old Republica Era (Era da Velha República) – 25.000 anos a 33 anos Antes da Batalha de Yavin
    • 900 a 800 anos  Antes da Batalha de Yavin – Nascimento de Yoda em planeta desconhecido
  • Rise of the Empire Era (Era do Surgimento do Império) – 1.000 a 33 anos  Antes da Batalha de Yavin 
    • 33 anos  Antes da Batalha de Yavin – O Império é formado através de alianças ocultas dos conhecimentos Jedi e da República através das maquinações de Darth Sidious
    • 32 anos  Antes da Batalha de Yavin – Star Wars Episódio I – A Ameaça Fantasma
    • 22 anos Antes da Batalha de Yavin – Tem início as Guerras Clônicas em Star Wars Episódio II – O Ataque dos Clones
    • 19 anos Antes da Batalha de Yavin – Tem inícios os acontecimentos de Star Wars Episódio III – A Vingança dos Sith e que culminam com Anakim Skywalker se tornando Darth Vader
  • Rebelion Era (Era da Rebelião) – 0 a 5 anos Depois da Batalha de Yavin
    • A batalha de Yavin acontece após o surgimento da primeira Estrela da Morte em Star Wars Episódio IV – Uma Nova Esperança
    • 3 anos Depois da Batalha de Yavin – Depois da derrota para a Rebelião o Império investe todo seu poder contra os insurgentes em  Star Wars Episódio V – o Império contra-ataca
    • 4 anos Depois da Batalha de Yavin – A batalha de Endor é decisiva após o retorno de Luke Skywalker já como Cavaleiro Jedi em Star Wars Episódio VI – O Retorno de Jedi
  • New Republic Era (Era da Nova República) – 5 a 25 anos Depois da Batalha de Yavin
    • A partir daqui a cronologia é completamente bifurcada, pois até antes da aquisição da Disney, todas as histórias em qualquer mídia dizem respeito a material do Universo Expandido e, para efeito canônico, não tem peso cronológico, pois a obra que guia essa nova linha do tempo é justamente Star Wars Episódio VII – O Despertar da Força
    • Entre as obras mais emblemáticas deste período no UE temos a Trilogia Thrawn e a Trilogia da Academia Jedi
  • New Jedi Order (A Nova Ordem Jedi) – 25 a 40 anos Depois da Batalha de Yavin
    • Devido a ser material ainda ligado aos acontecimentos de Yavin e produzido por terceiros, mesmo não tendo valor retroativo, ou seja, sem interferir no passado da saga, passa a ser um período Lengends, haja vista a incógnita que são os rumos que a Disney pretende dar para sua próxima trilogia, haja vista que na Trilogia Thrawn, por exemplo, Leia estava grávida de gêmeos, personagens posteriormente de grande importância nesse ciclo cronológico.
  • Legacy (Legado) – Mais de 40 anos Depois da Batalha de Yavin
    • Legacy, apenas tecnicamente falando, não precisaria sofrer nenhuma alteração muito drástica, sobretudo nos arcos da HQ homônima (Legacy da Dark Horse) que mostra um futuro mais de 120 anos depois dos acontecimentos da Batalha de Yavin e tem foco em Cade Skywalker em um contexto completamente diferente da Nova República sob pesado ataque das forças Sith de Darth  Krayt.
    • Mesmo livre de influências, por ser material de terceiros, Legacy também não tem efeito cronológico coeso, haja vista as mudanças que irão surgir a partir do Episódio 7 da saga, o que, sem sombra de dúvidas, irá gerar muitas inconsistências cronológicas, sem esquecer o fato de que a Marvel Comics, também da Disney, está encarregada de produzir toda e qualquer história na forma de HQs da franquia Star Wars, ou seja, tudo fica com a casa do Mickey)
Personagens da HQ Legacy da Dark Horse Comics
Personagens da HQ Legacy da Dark Horse Comics

Todos os fatos ocultos, omitidos, negligenciados ou qualquer coisa do tipo, estão subentendidos entre as datas oficiais da cronologia, podendo ou não ser útil como material referencial e de base para a compreensão dos muitos “pontos cegos” da cronologia. Em outra oportunidade abordaremos estes pontos cegos, sobretudo os referentes a materiais oficialmente lançados no Brasil, já que as coisas mais antigas como as primeiras HQs e alguns livros nunca sequer chegaram por aqui e nem há a mínima previsão de que isso realmente ocorra a contento.

Que a Força esteja com vocês.

 

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someoneShare on Tumblr

É Designer de produtos e gráfico, desenhista nas horas vagas e aos trancos e barrancos um estudioso de Semiótica. Nutre estranhas fixações por processos narrativos experimentais e acredita que o mundo caminha para ser cada vez mais parecido com um Game

35 views