Penny Dreadful | Começou a segunda temporada

Domingo, 3 de maio marcou o retorno de Penny Dreadful em sua segunda temporada. Os fãs de Vanessa Ives e Cia podem comemorar a vontade, pois a nova temporada já começou no mesmo embala da anterior: tensão, belíssimo visual, excelente caracterização da época, elenco sintonizado e uma nova tenebrosa ameaça na forma da misteriosa Madame Kali.

Atenção! O texto a seguir contém detalhes da trama, revelações e acontecimentos da temporada anterior.

Com uma temporada bem amarrada, uma pequena quantidade de episódios, excelente elenco e produção beirando o impecável, Penny Dreadful é um terror gótico, psicossexual (eita) abrilhantado por personagens clássicos da Literatura de Horror/Terror ao lado de outros inteiramente criados para a série.

Esse conjunto de seres estranhos, atormentados e únicos tem uma frágil aliança erguida ao redor do explorador Sir Malcolm Murray (Timothy Dalton), desesperadamente em busca de sua filha Mina Harker, misteriosamente raptada por uma criatura demoníaca de imenso, cujo real objetivo é atingir a sensitiva Vanessa Ives, cujos dons sobrenaturais são de interesse para forças ocultas.

Penny-Dreadful-2-Temporada-Posters

Assim a temporada anterior de PD guia a aliança frágil entre criaturas igualmente frágeis apesar de todas as máscaras de terror, força e medo que essas pessoas podem impor aos seres humanos normais (para mais detalhes veja nosso panorama geral da primeira temporada AQUI).

Com a conclusão do resgate de Mina se dando de forma pouco satisfatória para as partes envolvidas, a segunda temporada de PD inicia exatamente no ponto em que a anterior se concluiu, sem intervalos para que o grupo formado por Malcolm possa se recuperar dos traumas severos oriundos dos ataques das forças sobrenaturais que assediam Vanessa e que se apoderaram de Mina.

O primeiro episódio já mostra as situações problemáticas em que cada integrante do grupo se encontrava na ocasião do encerramento da primeira temporada:

pd cartaz

  • Vanessa Ives (Eva Green) caminha reflexiva quando a misteriosa  Madame Kali (Helen McCrory) sussurra em uma língua arcana palavras que abalam a percepção de Vanessa do tempo e do espaço, trazendo à tona imagens que, ao que tudo indicam, são de um passado ainda mais misterioso e sombrio do que a infância ao lado de Mina; Vanessa se vê a si mesma em uma encarnação anterior em um período que remonta ao da caça às “bruxas”…
  • Ethan Chandler (Josh Hartnett) se vê despertando de um torpor sangrento em meio a corpos mutilados, incluindo o dos dois homens enviados para trazê-lo de volta aos EUA a mando de seu pai. Ethan, perturbado pelo terrível dom de ser um lobisomen se prepara para partir, mas antes procura Vanessa e ambos são atacadas por misteriosas criaturas capazes de falar no mesmo idioma arcano de Madame Kali, mas dessa vez Vanessa responde ao estranho dialeto das criaturas… o que faz as criaturas recuarem e a vida de ambos temporariamente fica fora de perigo, mas deixando Vanessa extremamente perturbada e fazendo com que Ethan desista de partir para ficar ao lado da moça…
  • O dr. Victor Frankenstein (Harry Treadaway), obsediado por sua Criatura (Rory Kinnear), se vê obrigado a criar mais um ser monstruoso a partir de um corpo morto, só que dessa vez a escolha foi Brona Croft, a jovem prostituta e interesse amoroso do americano Ethan Chandler. Paralelamente ao processo de reavivamento de Brona para ser a nova da Criatura, o próprio “monstro” de Frankenstein, ironicamente talvez o mais humano de todos os personagens da série, busca integração mais uma vez entre a sociedade e para surpresa do próprio “monstro” encontra mais uma vez refúgio entre nós até, o que adiciona mais um núcleo a ser desenvolvido, colocando em cheque a escolha da Criatura em ter uma noiva imortal. E, na sequência dos fatos, Frankenstein é chamado mais uma vez para se juntar ao grupo de Malcolm que teme pela saúde física e mental de Vanessa após o ataque das criaturas de Madame Kali.
  • O primeiro vislumbre da morada de Madame Kali e suas criaturas é um excelente espetáculo visual, mais uma vez reforçando o apuro e cuidado com que a produção do seriado faz seu trabalho. Kali cultua através de seu antigo idioma arcano o anjo caído Lúcifer, a quem promete entregar a alma de sua noiva, Vanessa, novamente que, em seu quarto, luta em suas orações para não sucumbir ao mal que a assedia desde tempos que sua própria memória oculta…

Penny

A nova temporada de PD acrescenta ainda mais mistérios e expande sobremaneira sua própria mitologia, interligando os personagens exclusivos do seriado com os clássicos monstros amplamente conhecidos do grande público.

Mais uma vez a dinâmica entre os personagens é a tônica da temporada, interrelacionando-os uns com os outros de forma que cada um se apoio no seu próximo, mas ao mesmo tempo mantenha seus próprios segredos e motivações, o que dá a temporada vários pontos a serem desenvolvidos em paralelo enquanto uma trama maior se desenvolve como espinha dorsal da temporada e do contexto geral da série.

Ao que tudo indica uma outra vida de Vanessa Ives vai ser explorada e seu passado ainda mais antigo esclarecido, o que pode jogar luz sobre seus estranhos dons e os motivos de ser tão perseguida pelas forças sombrias que agora se movimentam ao comando de Madame Kali. Penny Dreadful é livremente baseada em diversas obras clássicas cujos personagens estão em domínio público.

A série foi criada por John Logan, que também assina o roteiro de muitos episódios do programa que vai ao ar pelo canal HBO. Agora é acompanhar de pertinho os próximos nove episódios do seriado para ver o desenrolar da trama e do quase certo confronto entre Vanessa e Madame Kali.

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePin on Pinterest

É Designer de produtos e gráfico, desenhista nas horas vagas e aos trancos e barrancos um estudioso de Semiótica. Nutre estranhas fixações por processos narrativos experimentais e acredita que o mundo caminha para ser cada vez mais parecido com um Game

89 views
Scroll Up