Cancelamentos | Mensais Valiant no Brasil são canceladas e material continua em encadernados

Anunciar lançamentos, check lists mensais, estreias de filmes, fotinha de ator no set de filmagens… tudo isso é fácil e divertido, complicado mesmo é anunciar cancelamento de HQs, algo que é até comum e banal aqui no país… não deveria ser, mas é a impressão que tenho faz muitos anos…

Não importa há quantos anos eu seja comprador/leitor de HQs, sempre é chato e impactante saber que algo é cancelado por aqui nesse nicho… e ao longo desses anos acho que o cancelamento das mensais da linha Valiant Comics aqui no Brasil foi uma das piores notícias no segmento de quadrinhos norte-americanos do gênero super-heróis (AQUI).

HAR_007_interlocking

O leitor mais assíduo do PZ já deve conhecer a Valiant, cujo material chegava às bancas nacionais pela HQM Editora, cujo excelente trabalho editorial também já trouxe o megassucesso The Walking Dead, por exemplo, além de muitos outros títulos relegados pelas grandes publicadoras de nosso país, mas cuja qualidade é inquestionável. O material da Valiant Comics era distribuído em dois títulos mensais: XO-Manowar e Universo Valiant, com personagens diversos dividindo os dois títulos, mas sobretudo com destaque para XO-Manowar, Bloodshot, Harbinger e Archer & Armstrong (Veja nosso especial Valiant AQUI).

A manhã de hoje foi marcada por uma dessas ocasiões escrotas para quem trabalha no segmento de divulgação de cultura pop/nerd no segmento de HQs, ao menos quem se dedica a traçar um plano de ação além do eixão Marvel/DC dentro do segmento de super-heróis.

Em comunicado aberto em sua Fanpage dedicada ao material da Valiant, a HQM Editora anunciou o cancelamento dos dois títulos mensais citados mais acima. Após 11 edições, XOM e UV estão sendo descontinuadas em virtude das baixas vendas, o que gerava, obviamente, prejuízo à editora. Como explicado no anúncio, a conta não batia e mesmo o hiato que houve na periodicidade do material não foi suficiente para reverter a situação.

3079384-1368129596

Nessas horas gostaria de me despir da visão de fã, mas me falta discernimento para isso, afinal de contas ser fã sempre foi uma prerrogativa para os textos do PZ.

Como disse, já vi muitos títulos serem cancelados aqui no Brasil ao longo de muitos anos, no entanto é sempre ruim quando isso ocorre com um material que, mesmo em um segmento saturado como o de heróis, se mostra mais elaborado e com uma proposta mais contida, sem muitos títulos, sem uma cronologia pesada e cheia de retalhos entre o que vale, o que não vale mais e o que volta a valer de novo.

Diferente das tradicionais Marvel e DC Comics, a Valiant Comics possui uma linha enxuta, coesa e com personagens mais focados em suas próprias histórias e aventuras mesmo dentro de um contexto bem interrelacionado, o que interligava muito de seus títulos de forma breve, porém coerente e inteligente até mesmo ao utilizar o manjado recurso dos crossover de seus títulos, pondo ali apenas dois ou três de seus destaques em uma aventura focada sem a necessidade de um mega-evento se estendendo por quase uma centena de revistas que o fã sequer tinha real interesse em ler… ah, e nada desse mata-ressuscita que tomou conta das HQs de heróis desde que o Super-Homem morreu em 1993 e voltou meses depois.

Valiant_logo_newNão foram poucas as ocasiões em que me dispus a defender o material Valiant com unhas e dentes em fóruns e grupos de HQs… toda vez que alguém me fala em personagens mais humanizados, em trajes funcionais, em heroínas não sexualizadas ao extremo eu simplesmente apontava a Valiant como alternativa viável dentro do segmento de HQs na tentativa de realmente criar uma nova leva de leitores para um material que estava oferecendo a esses leitores justamente o que eles tanto reclamavam não encontrar nas grandonas…

Mas parece que o incentivo não teve o resultado esperado e o cancelamento chegou e é irreversível como são todos os cancelamentos desse tipo em nosso país. Por mais boa vontade que pequenas editoras como a HQM tenham, é difícil se sustentar com boa vontade diante de um leitor/comprador/fã que gosta de uma zona de conforto e comodidade consumindo as grandes marcas tão somente por serem grandes marcas, ignorando quase que por completo o requisito qualidade do que consome.

E, quando falo qualidade também me refiro ao acabamento gráfico que as revistas da Valiant recebiam: papel resistente, impressão de cores vivas, galerias de capas, textos explicativos, resumos do contexto do material até a edição mais atual eram alguns dos pontos que eu levava em consideração quando comprava minhas edições.

Claro, ninguém é obrigado a comprar nada apenas por estar em banca, há inúmeros outros materiais simplesmente lutando para ter seu lugar ao sol e fracassando por diversos motivos, mas minha queixa primordial aqui é que vagando em diversos espaços virtuais dedicados ao segmento de HQs de super-heróis, vulgo mercado mainstream, as reclamações dominantes sobre qualidade e opções disponíveis eram constante, fazendo parecer que havia uma demanda crescente por abordagens novas dentro de tal segmento… se havia a demanda, qual o motivo desse público carente não aderir um novo universo repleto de boas histórias, personagens densos, cativantes e acessíveis em revistas com bom acabamento visual e, acima de tudo, excelente custo x benefício? já que cada mixe publicado pela Valiant trazia o essencial e necessário ao leitor que poderia acompanhar tudo com apenas duas revistas mensais.

HQM_Editora_1

Sei que não é a primeira e nem a última vez que algo de material de fora simplesmente some das bancas por conta de vendas, mas é estranho notar que seja justamente um material cuja premissa seja dar ao leitor exatamente o que suas queixas apontam como necessidade… oque me faz pensar sobre o que nosso leitor realmente quer e acima de tudo, quem é esse leitor? Quem está consumindo HQs hoje no país e que motivações esses leitores têm para isso? Faço a indagação aqui abertamente porque são inúmeros os grupos virtuais que frequento com mais de 3.000 participantes, outros chegam com facilidade aos 10.000… imagine um deslocamento de 600 membros de cada um desses grupos gigantes indo às bancas comprar algo fora do tradicional? Que coisa linda… Se isso ocorresse.

Se formos refletir sobre essa massa consumidora, então a conta que não bate no anúncio da HQM Editora sobre vendas deveria bater pela soma total de pessoas adquirindo o material disponível… questão de gosto? Falta de conhecimento do material? Comodismo? Modismo? A

s grandes marcas das HQs hoje se sustentam por conta da qualidade do que está impresso nas revistas ou por conta do hype oriundo de seriados de TV e dos megaeventos cinematográficos de “Roliude”? O que tira o leitor brasileiro da inércia bipolar do segmento de super-heróis? Essa nem o Questão sabe…

Seria o caso da Valiant algo similar ao do longo histórico da Vertigo em nosso país? Títulos de excelente qualidade, texto inteligente, uma abordagem mais autocontida, autores de gabarito e reconhecido talento no mercado e ainda assim um histórico de lutas constantes para se manter em atividade e em destaque para um leitor que chora, reclama, pede, implora e na hora de sair da zona de conforto em busca de outras alternativas simplesmente arrega… Quem pode elencar as editoras brasileiras que já publicaram material do selo Vertigo sem se perder?

John Costantine's Hellblazer, o mais duradouro título da Vertigo
John Costantine’s Hellblazer, o mais duradouro título da Vertigo também já foi cancelado inúmeras vezes por aqui…

“Ah, agora a culpa é do leitor, é?”… sim, também… afinal “é você que financia essa merda (chuta o cara no chão), seu viado”, já diz o polêmico bordão do personagem Capitão Nascimento, eternizado pelo ator Wagner Moura no igualmente polêmico filme nacional Tropa de Elite (antes que me apedrejem, isso foi uma piada, escrota, mas foi).

The Valiant, crossover dos personagens da editora
The Valiant, crossover dos personagens da editora

Eu disse “Também”… calma, também é sua culpa, mas não só sua… afinal de contas, vale pensarmos em como as pessoas conhecem as coisas, em como elas podem ser instigadas a conhecer o novo… quantos dos grandes sites e portais de entretenimento se dignaram a também sair de sua zona de conforto no segmento para dar espaço para um Bloodshot e não para um Batman, dar espaço para um XO-Manowar e não um Homem de Ferro, para Harbingers e não X-men? Sinceramente não sei, e agora nem me interessa mais saber, é até um dado fácil de levantar fazendo-se uma busca de 10 minutos no Google… fica a parcela da conta aí para os formadores de opinião TAMBÉM pagarem…

Ver títulos mensais que você acompanha serem cancelados é como ver aquele seu amigo legal se mudar para outra cidade. Você sabe que ele continua seu amigo, que você pode ligar, trocar e-mails, falar com ele pelas redes sociais, mas também sabe que ele simplesmente não vai estar ali por perto para trocar aquela ideia de sempre…

Pois é, você sabe que a Valiant continua saindo lá fora, recebendo prêmios sucessivos em decorrência da qualidade de seu material, porém também sabe que no próximo mês não vai achar suas revistas nas bancas perto da sua casa, do seu trabalho, do shopping que você frequenta…

Ok, não precisa chorar junto comigo, apesar do baque inicial que um cancelamento desses gera, a própria HQM Editora tratou de assoprar a ferida e, mantendo sua percepção de compromisso com o leitor, anunciou a continuidade das publicações através de encadernados compilando arcos completos, inclusive os que finalizam os arcos em curso nas revistas mensais até a ocasião do fatídico cancelamento.

Os órfãos chorões que nem eu vão ter a oportunidade de seguir com suas historinhas de personagens que ninguém liga, que ninguém se importa, afinal de contas, o que vale mesmo é ler a revistinha daquele cara lá que tem uma série ou cujo filme está previsto para daqui alguns meses. E para nós, órfãos chorões que leem coisas que ninguém liga, a HQM Editora preparou um bônus: quem possui os volumes mensais de XOM e UV vai ter direito a 40% de desconto no valor de capa dos encadernados da linha Valiant… segura essa aí, playboy…

Daqui da redação continuamos acompanhando de perto o trabalho da HQM Editora em publicar algo além da polaridade Marvel/DC e antes que me joguem na fogueira dos hereges, consumo muito material Marvel e igualmente da DC que sai por aqui, acima de qualquer coisa sou fã do segmento de super-heróis, mas acima de tudo de HQs de um modo geral. Sempre me desaponto ver o quão é complicado a relação das publicações com os leitores… ou há um conflito de interesses muito gritantes nisso ou o leitor brasileiro reside eternamente na faixa do “em amadurecimento”… não vou entrar aqui no quanto cada um gasta e nem com o que gasta, quadrinhos é um negócio como outro qualquer, se há demanda deve haver a oferta, correto? E agora que as opções começam a chegar por aqui em qualidade acima da média do que se vê em revistas mensais a coisa simplesmente some?

Enfim, segue abaixo o texto publicado na Fanpage da Valiant pela HQM Editora… e que venham os encadernados, uma abordagem que fisga muito empolgadinho por aí… até quero sugerir aos editoras da empresa que usem o nefasto recurso das “lombadas mosaico”, afinal de contas tem gente comprando encadernado aí para enfeitar estante com imagem, mesmo que no meio disso tenha de ter uma boa quantidade de histórias cuja qualidade não justifica tanto papel e tinta…

Pronunciamento da HQM EDITORA

Caros amigos e leitores. É com grande tristeza que anunciamos o cancelamento das revistas mensais da Valiant aqui no Brasil. A boa notícia é que as séries continuarão em encadernados, com o lançamento de X-O Manowar volume 2 e Harbinger volume 1 no início do mês que vem (chegam esta semana na Comix), com Bloodshot volume 1 e Quantum & Woody volume 1 no mês que vem.

O motivo é simples. Nossas vendas não são satisfatórias, gerando um grande prejuízo para a editora. A conta era muito simples, mas não batia. Se as mais de 2.300 pessoas que curtem esta página de fato comprassem as HQs, era possível continuar publicando as séries, ainda que tendo lucro zero. Nunca foi nossa intenção ganhar dinheiro com a Valiant, mas sim fornecer boas histórias a um custo e qualidades honestos. No entanto, o prejuízo estava grande demais para conseguir manejar a situação.

Não vamos utilizar este espaço para reclamar das mazelas do mercado nacional de quadrinhos. Diferente disso, vamos tentar oferecer uma solução viável. Para os compradores das revistas mensais da Valiant, daremos desconto de 40% no preço de capa dos encadernados para a compra de todos os volumes que já foram publicados nas revistas nacionais, e também em Quantum & Woody volume 1.

Para tal, só é preciso enviar uma foto com sua coleção Valiant completa mais um documento de identidade para o e-mail valiant@hqmaniacs.com com o seu pedido. Isso significa que os volumes 1, 2 e 3 de X-O Manowar, Harbinger, Bloodshot, além dos encadernados de As Guerras Harbinger e Quantum & Woody volume 1 terão desconto de 40% cada para quem já colecionava a linha Valiant.

Agradecemos a compreensão e fidelidade de todos vocês, leitores, que continuam nessa empreitada conosco.

Um forte abraço.

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePin on Pinterest

É Designer de produtos e gráfico, desenhista nas horas vagas e aos trancos e barrancos um estudioso de Semiótica. Nutre estranhas fixações por processos narrativos experimentais e acredita que o mundo caminha para ser cada vez mais parecido com um Game

199 views
Scroll Up