Article

Lançamento | Zero Point pela Editora HQM

O leitor e o fã de HQs pode parar de reclamar, e isso não é agora, de falta de opção para diversificar sua coleção. Já tem um bom tempo que Marvel e DC vem dividindo espaço nas bancas e livrarias do gênero com materiais de outras editoras ou até mesmo com materias das duas grandes, mas que eram pouco vistos de forma constante ou minimamente satisfatória ao gosto do freguês.

Inclusive aumentou de forma bem produtiva o número de editoras que arriscam pisar no solo quase infértil (será mesmo) de publicar HQs no Brasil. Panini, Pixel Media (que descanse em paz), Nemo, Mythos, Conrad (tá complicada ainda essa), Salvat, Eaglemoss, HQM Editora, Devir, entre outras mais ou menos conhecidas de modo geral.

10632602_10152413253122322_8763169636622725259_nPois é, a bola que quica aos pés da HQM Editora marca gols no segmento já tem um bom período. Material da Image foi um dos focos inicias de trabalho da editora que publica por aqui o ultra-sucesso Walking Dead em duas versões: mensal e encadernados. Também é deles a excelente publicação de Invencível, também de Robert Kirkman, em encadernados.

Mais recentemente, a HQM superou expectativas n segmento e foi a primeira editora a lançar na íntegra, fora dos EUA, toda a reformulação do universo da editora americana Valiant que conta com duas revistas no formato de mix: XO-Manwar e Universo Valiant. E não para por aí…

Bom, catálogos a parte, a novidade agora fica por conta do lançamento da graphic novel argentina Zero Point (ZP) produzida por Agustin Grahan Nakamura. “Híbrido” de hermano e japa, o autor acabou indo ao Japão estudar animação e ilustração ao melhor estilo das produções orientais, o que obviamente influenciou cada detalhe de ZP, cujos traços não fogem nem um pouco ao melhor estilo mangá.

Inclusive toda a premissa de ação, assassino de aluguel solitário, máfia e tiros lembra passo-a-passo os filmes de assassinos e gansters japoneses, cuja narrativa frenética e ao mesmo tempo cheia de reflexões chega a ser uma marca no estilo.

ZP vem em formato magazine, o que valoriza ainda mais a arte de Agustin,  toda em preto e branco, o que evindencia ainda mais a sensação de “mangá” dentro da obra ocidental; as dimensões maiores sempre são um adendo aos olhos do fã que aprecia detalhes dos desenhos e com absoluta certeza o formato magazine só vem enriquecer o material. E ZP tem muito que ser apreciado visualmente falando.

Em linhas gerais o assassino de aluguel Bird quer pular fora do negócio e acumulou dinheiro para isso, no entanto algo sai errado e Bird passa de caça a presa. Dividido entre a máfia e o departamento de policia que utiliza seus serviços, Bird também precisa lidar com outro problema, na verdade problemas: sua primeira falha em serviço e o outro matador que faz o serviço antes dele…

A HQ já está disponível para venda no site da loja Comix (AQUI) e em breve em demais lojas do ramo de HQs.

[divider]Release pela editora[/divider]

“Zero Point chegou para reviver o gênero de ação, seus assassinos de aluguel, suas máfias, as armas automáticas e as garotas fatais. Fazia falta uma graphic novel como esta nas histórias em quadrinhos atuais.”

BIRD é um ASSASSINO DE ALUGUEL, dos melhores, se não o melhor. Mas BIRD quer abandonar seu trabalho, já que não deseja seguir os passos do seu mestre CROW, um MATADOR sanguinário e sem piedade. Há anos BIRD realiza missões para a polícia local, fazendo seu trabalho sujo em troca de ter sua ficha limpa.

Quando está a ponto de finalmente conseguir o que quer, algo sai mal: pela primeira vez ele falha. Outro MATADOR fica entre ele e sua vítima, um chefe mafioso, assassinando-o antes que BIRD o faça. A partir daí tudo se complica. BIRD começa a suspeitar dos policiais que o contrataram, e enfrenta uma ameaça que jamais imaginou: pela primeira vez é colocado no papel de perseguido, e corre o risco de se tornar a vítima. Mas uma reviravolta ainda maior está por vir quando, no balcão de um bar, ele se encontra com o outro Matador.

Para surpresa de BIRD, trata-se de uma bela e jovem mulher. Seu nome é KAT.

Agustin Grahan Nakamura é ilustrador, animador e diretor. Nascido de pais japoneses e argentinos em 1980 em Rio Negro, Argentina, estudou direção de animação e mangá no Japão. Faz trabalhos freelance para agências de publicidade, estúdios de cinema e produtoras de animação e 3D. É diretor do curta-metragem “Fear” (2008), selecionado e exibido em importantes festivais internacionais de cinema e animação. Atualmente radicado na cidade de São Paulo, Zero Point é seu primeiro trabalho nos quadrinhos.

Veja o release também direto pelo site da editora HQM clicando AQUI .

[divider]Ficha Técnica[/divider]

Roteiro e desenhos: Agustin Graham Nakamura
Formato 21 x 27,7 cm
200 páginas
R$ 39,90
HQM Editora

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePin on Pinterest

É Designer de produtos e gráfico, desenhista nas horas vagas e aos trancos e barrancos um estudioso de Semiótica. Nutre estranhas fixações por processos narrativos experimentais e acredita que o mundo caminha para ser cada vez mais parecido com um Game

61 views
Scroll Up